Carregando
  • HOME
  • BLOG
  • Festa Colonial: o sabor dos produtos que vem do interior

Onde ir

Uma mostra do que a colônia produz de melhor, na cidade. É a 25ª edição da Festa Colonial de Canela, que acontece até domingo (29), no Espaço Canela Rural, ao lado do Centro de Feiras.
A Festa Colonial integra os produtores rurais com toda comunidade local e os visitantes, além de ser uma maneira de aumentar a renda dos agricultores, através da comercialização direta, é também uma oportunidade de se conhecer toda a diversidade de produtos coloniais produzidos no município, os costumes e tradições das famílias rurais.
O evento conta com espaços que oferecem gastronomia típica, produtos agrícolas e da agroindústria, como geleias, salames e licores. Entre os produtos que mais fazem sucesso na Festa estão os bolinhos de batata, as cucas e os pães que saem quentinhos de fornos artesanais. O evento conta ainda com uma vasta programação cultural, envolvendo danças típicas e música.

A Festa Colonial é uma promoção da Prefeitura, através das Secretarias da Fazenda e Desenvolvimento Econômico, Obras, Serviços Urbanos e Agricultura e Turismo e Cultura; Emater; Sindicato dos Trabalhadores Rurais e apoio da Associação de Micro e Pequenas Empresas de Canela – AMPEC e Vinícola Granja da Telha.



Esbanjando simpatia

No domingo (21), o Tenor Evandro Martins e sua filha Johanna subiram ao palco da Festa Colonial para sua apresentação. O destaque ficou com a pequena Johanna que em sua pouca idade revela seu carisma e talento diante do público. A sua habilidade natural é aliada a disciplina musical, criatividade, educação e bom humor.
Em sua simplicidade já detém sabedoria e preocupação com o bem-estar de seres humanos, sejam pessoas ou animais.
Johanna Martins, é cantora mirim, mas ao lado de seu pai Evandro parecia gente grande e empolgou o público.



Um alambique e muitas histórias

Tão boa quanto as cachaças produzidas por Manoel Borba de Oliveira é a história do alambique, que se mistura com a sua própria trajetória de vida. Depois de trabalhar 18 anos na cidade, Seu Manoel – como é conhecido – se aposentou e voltou para o interior do município. Com 56 anos, a dúvida apareceu: o que fazer do seu tempo livre? Aproveitando uma fase de elevação no turismo rural e considerando que não havia cachaçaria em Canela, surge, em 1999, o Alambique do Manoel. “Eu não sabia nada. Fui aprendendo na escola da vida”, conta. Assim, ele pesquisou junto a outros produtores e teve orientação de técnicos trazidos pela Emater para dar seguimento ao negócio.

E as inovações não pararam. Da cachaça pura e envelhecida em barril de carvalho, o produtor também apresenta as cachaças com sabores de frutas, todos criados por ele e que estão em seu estande na Festa Colonial deste ano.

A filha Rafaela e o genro Juliano Cletes de Moraes são quem trabalham no estande atualmente, oferecendo aos canelenses e turistas, além das cachaças com sabores, as tradicionais caipiras de limão, uva e mel.

“Estamos com uma boa saída de produtos neste evento, geralmente a partir de quinta feira o fluxo começa a aumentar e consequentemente as vendas sobem também”, fala Rafaela.



Visão e empreendedorismo nas famílias

Pães e cucas feitos na hora e comercializados ainda quentinhos é o que oferecem as famílias Chaulet e Martins há mais de cinco anos na Festa Colonial. O casal Soli Martins de Oliveira e Gabriela Strey Chaulet são os responsáveis pela união destas famílias, eles casaram e uniram o útil ao agradável. “Melhor trabalharmos unidos do que cada um fazendo e assando os seus produtos” relatam.

A tenda das duas famílias este ano, tem um orgulho a mais de estar no evento, pois a filha do casal, Viviane é uma das soberanas da festa. “Ela nos ajuda de segunda e terça e de quarta a domingo, assume o seu papel de segunda princesa, e isso muito nos orgulha” conta a mãe Gabriela.

Após a Festa Colonial, Viviane e Gabriela continuam oferecendo pães e cucas todos os sábados, no mesmo local.



Festival de Intérpretes

O 1º Festival de Intérpretes tem sua eliminatória na terça-feira (24), a partir das 19h, no Espaço Canela Rural. Vinte candidatos disputam vagas para a final, na sexta-feira (27), em três categorias: Kids – 7 a 13 anos, Sertanejo – a partir de 14 anos e Música Tradicionalista – a partir de 14 anos.

Os concorrentes são de Canela, Gramado, Capão da Canoa, Igrejinha, Farroupilha e Campo Bom e serão julgados por: João Carlos dos Santos, Ataliba Gaiteiro, Jonas Santos, Glaiton Cunha, Palito Batera e Cris Souza.

Feira de Inverno

O público da Festa Colonial conta com mais uma atração. Ao lado do Espaço Canela Rural, no Centro de Feiras, acontece a Feira de Inverno, promovida pela AMPEC. O público pode conferir os produtos do setor moveleiro, artesanato e decoração, roupas e acessórios, chocolates caseiros e stands de diversos outros setores, como biscoitos e livros. A Feira de Inverno segue até 5 de agosto, das 11h às 21h, no Centro de Feiras.

PROGRAMAÇÃO FESTA COLONIAL

Segunda 23/07
18h – Os Camponeses

Terça 24/07
14h – Pequenos Fandangueiros
18h – Tiago e Grupo
19h – 1º Festival de Intérpretes – Elininatórias

Quarta 25/07
20h – Amantino e Grupo Badalação
18h – Bruno Rauber e Emílio Fogaça
17h – Pedro e Seu Conjunto
15h30 – DTG Amigos Estancieiros
14h – Peça Teatral – Cia Goliardos

Quinta 26/07
15h – DTG Laço de Amizade
17h – Marcelo J. Frank
18h30 – Cássio Amaral Grupo Sempre Campeiro
20h – Kiko Corrêa

Sexta 27/07
13h30 – Peça Teatral – Cia Goliardos
14h30 – Ilhapa Gaúcha
17h – Os Camponeses
18h – Zé Nunes e acompanhantes
19h – 1º Festival de Intérpretes – Final
20h – ACR3

Sábado 28/07
13h – Grupo Pampa e Vanera
15h – Amaranto e seu conjunto
17h – Grupo Pontezuela
19h – Banda Deutsch Company
18h – Jeito Serrano
20h – Cássio Amaral Grupo Sempre Campeiro

Domingo 29/07
14h – Kiko Corrêa
16h – Amantino e Grupo Badalação
18h – The Vaneira
20h30 – ACR3